Um mundo sem super-heróis

domingo, 9 de maio de 2010 14:19 Postado por Hemilin Alves
Era mais um dia de domingo. Sem absolutamente nada – que me interessasse – pra fazer. Decidi, então, buscar no meu arquivo de filmes não vistos algum que fizesse, pelo menos, o tempo passar mais rápido. O filme escolhido: “O Quarteto Fantástico”. Pra quem não conhece, “O Quarteto Fantástico” são humanos com super-poderes: os famosos super-heróis. Desde criança convivemos com eles. Todas as histórias infantis têm um desses. Todas. Vai ver que é por isso que eles continuam há tanto tempo lá. Nas histórias. Na ficção.

Os heróis da vida real não são chamados de heróis. E nem são famosos. São seres humanos comuns. Pessoas que você esbarra dentro do ônibus, mas que nem repara se é homem ou mulher. Vi um desses heróis ontem. Ajudava um cego a atravessar a rua quando o cego não era visto. Encontrei outro na semana passada. Carregava as compras de uma senhora sem antes perguntar se ela precisava ou não de braços fortes para levar a comida até dentro de sua casa.

Não foi esse tipo de herói que vi no filme de domingo e tão pouco nas histórias da minha infância. Lá, eles combatiam um mal irreal, que não faz parte do meu dia-a-dia e, tenho certeza, nem do seu. Ou você já viu alguém querendo dominar o mundo? Tá, esqueça algumas igrejas. Os males que enfrentamos todos os dias são outros, bem diferentes. São casos que na correria dos nossos dias corridos passam despercebidos. O que é um grande erro. Porque eu, e você também, podemos ser super-heróis. E pra isso não é preciso ter capa ou braços elásticos.

2 Response to "Um mundo sem super-heróis"

  1. Blog da ACAFE Says:

    Gostei muito desta crônica Hemi.

  2. Dani Says:

    Também tens um blog, lindona? Oba, mais textinhos bons para eu ler! =D Não deixe de escrever!
    Beijinhosss